Mauricio Gomyde e suas novidades...



Gente, o autor parceiro do blog, Mauricio Gomyde, tem mais uma novidade maravilhosa para contar, seu novo livro irá ser lançado pela Intrínseca e já tem capa e sinopse divulgadas!




"Surpreendente! - Pedro Diniz tem um desafio e um problema pela frente.

O desafio: filmar um roteiro magnífico capaz de surpreender o público e conquistar o grande prêmio do cinema brasileiro. O problema: não ter ideia de como fazer isso.

Aos 25 anos, recém-formado, Pedro está convencido de que é um sujeito muito especial, que tem a missão de usar o cinema como instrumento para melhorar o mundo. Diagnosticado na adolescência com uma doença degenerativa que o condenaria à cegueira, ele contraria a lógica da medicina quando a perda de sua visão estaciona de forma inexplicável. Enquanto comanda o último cineclube de São Paulo e trabalha em uma videolocadora da periferia, Pedro planeja seu próximo filme, a obra que vai consagrá-lo. E, para animar as coisas, conhece a intrigante Cristal, uma ruivinha decidida, garçonete e estudante de física nuclear, que mexe com seu coração. 
A perspectiva idealista de Pedro, porém, sofre sérios abalos. Atormentado por um segredo, ele parte com os amigos Fit, Mayla e Cristal numa longa viagem até Pirenópolis, em Goiás, a bordo de um Opala envenenado. Com câmeras nas mãos e espírito de aventura, a equipe técnica improvisada está disposta a usar toda a sua criatividade na filmagem feita na estrada ao sabor de encontros inesperados e de sentimentos imprevisíveis. E o jovem cineasta descobre que, quando o destino foge do script, nada supera o apoio de grandes amigos". 



 

Resenha Mentiras que Confortam





Mentiras que confortam
Randy Susan Meyers
Novo conceito, 2015
Sinopse: - Cinco anos atrás...
Tia apaixonou-se obsessivamente por um homem por quem nunca deveria ter se apaixonado. Quando engravidou, Nathan desapareceu, e ela entregou seu bebê para a adoção.
Caroline adotou um bebê para agradar o marido. Agora ela questiona se está preparada para o papel de esposa e mãe.
Juliette considerava sua vida perfeita: tinha um casamento sólido, dois lindos filhos e um negócio próspero. E então ela descobre o caso de Nathan. Ele prometeu que nunca a trairia novamente, e ela confiou nele.
Hoje...
Tia ainda não superou o fim do seu caso com Nathan. Todos os anos ela recebe fotos de sua garotinha, e desta vez, em um impulso, decide enviar algumas delas para a casa do ex-amante. É Juliette quem abre o envelope. Ela nunca soube da existência da criança, e agora precisa desesperadamente descobrir quantas outras mentiras sustentaram o seu casamento até hoje.
Toda história tem um estopim, creio que esta comece justamente pelo caso de Tia e Nathan, eles pareciam muito apaixonados, se não fosse pelo detalhe dele ser casado com outra pessoa. Uma gestação não planejada colocou fim em tudo.

“Mas, acredite em mim, se escolher sofrer em vez de ficar com o seu bebê, você nunca irá se recuperar.” p.19

Quando Tia percebe que não terá Nathan de volta e se sente imatura para criar uma criança, dá-la a adoção se torna sua opção.
Peter e Caroline são casados e querem ser pais, ou pelo menos Peter quer, sua esposa focada na carreira fará de tudo para agradá-lo.
Juliette perdoou a traição de Nathan pelo bem de seu casamento e de seus filhos pequenos, mas a insegurança ainda a ronda.
Cinco anos depois, tudo parece ter se estabelecido em uma rotina agradável para quem olha de longe, mas assim como uma casa antiga que é reformada, as rachaduras se tornam aparentes logo. Esses cinco personagens centrais mudaram muito em cinco anos...

“Não importa onde vocês tenham adotado a sua criança, como pais adotivos, vocês vão precisar lidar com a família biológica de seu filho tendo ou não conhecimento dela. Essa família biológica é parte de quem seu filho é.”
  Tia parece estar em dúvida se fez a coisa certa ao dar sua filha para adoção, ao mesmo tempo em que o remorso a assombra, a paixão por Nathan continua beirando a obsessão, ele por sua vez, parece ter se esquecido desse caso e se dedica totalmente a Juliette, enquanto Caroline pensa se fez a coisa certa ao ceder ao marido e suas vontades.
Os únicos que se salvam nesse meio de raiva e amargura são Peter e a pequena Savannah, a verdadeira causa e conseqüência dessa trama.
Quando Tia, em mais uma tentativa desesperada de trazer Nathan de volta a sua vida manda fotos da pequena para a casa dele nada poderia preparar para o fato de ser Juliette a abrir esse envelope e dali para frente tudo se tornar tão intenso. A busca por uma criança, a busca por uma verdade.
A relação de Tia e Nathan acabou mesmo?
A pequena Savannah é amada e cuidada? Falam de seus pais biológicos com ela?

“Será que ele ainda se encontrava com Tia? A julgar pela carta, parecia que não. Mas quem saberia? Quem realmente conhecia seu próprio marido? Houve uma época em que ela diria que conhecia, mas agora não mais.” p. 65

É inacreditável como as histórias vão se delineando, formando uma verdadeira cama de gato, um emaranhado que não tem fim. Sinceramente é um livro que desperta sensações, confesso que esta sendo super difícil falar dele, pois foram tantos sentimentos despertados ao longo da leitura: empatia em uma página, raiva na outra, sentimento de impotência versus vontade de dar uns tapas. Ao mesmo tempo em que fala de amor, Mentiras que confortam mostra também o quanto cada pessoa pode ter uma dose de egoísmo em si, a maioria dos personagens parece ter se esquecido que era uma criança que estava no cerne de toda a situação, que protegê-la deveria ser uma missão de todos, afinal de uma forma bem louca todos são sua família.
Ao longo de toda a trama fiquei procurando o conforto que essa mentira poderia ter trazido para ser estampada no título do livro, não encontrei, o que apenas reforça que nada deve justificar um erro, a velha história “mentira tem perna curta” se vale mais uma vez.
Termino a história com a sensação de ressaca literária, não porque ela seja ruim ou deixou um gosto amargo, mas sim pelo fato de ser tão instigante que não estou conseguindo me desligar da trama, as atitudes, ações e reações continuam muito fortes na minha mente, a tal ponto que não consigo me desvencilhar! Como eu disse é um livro que parte de uma ação e que provoca uma reação nos personagens e em quem lê, já vejo-o como um caso de amor ou ódio pelos personagens! Espero que leiam e voltem para me contar como se relacionaram com Tia, Juliette, Caroline, Peter e Nathan.

Resenha As Regras da Sedução







As Regras da Sedução
           Rothwell Brothers # 01
Madeline Hunter
Arqueiro, 2013
Sinopse: Lorde Hayden Rothwell chega à casa de Alexia Welbourne sem aviso e sem ser convidado – um homem poderoso e sedutor, movido por interesses obscuros. Sua visita anuncia a ruína financeira da família de Alexia e o fim das esperanças da jovem de um dia conseguir um bom casamento. Para se sustentar, a moça recebe a proposta de ser dama de companhia de Lady Henrietta Wallingford e preceptora de sua filha. O problema é que a oferta vem do sobrinho de Henrietta, ninguém menos que lorde Hayden.
Morando na casa da tia de Rothwell, Alexia descobre que a proximidade com o homem que destruiu sua família pode ser perigosamente irresistível. Num gesto impensado, ela se entrega a ele, e ambos se veem obrigados a se casar. O que Alexia não sabe é que os atos aparentemente arrogantes de seu belo e sensual marido são motivados por uma dívida de honra que pode levá-lo a sacrificar tudo.
Com tantas mágoas e segredos entre eles, o casal tem tudo para se manter afastado. Mas Hayden é um homem apaixonante e Alexia, a tentação que o faz perder a cabeça. Morando sob o mesmo teto, eles acabam se aproximando e, juntos, vão descobrir um jogo de sedução em que cada um faz as próprias regras.



Alexia já teve sua vida arruinada uma vez quando seu pai faliu e teve de viver de caridade com os primos e agora se vê novamente a beira da falência graças a Hayden, um homem poderoso e de posses que para todos os efeitos também não teve piedade ao tirar seus investimento do banco da família de Alexia e assim levá-los a falência.
Na verdade, o primo de Alexia, Tim, é um verdadeiro picareta, um homem sem moral e que levou lucros enganando as pessoas que confiavam nele, mas Hayden não permitiria mais isso, mesmo que para fazer justiça leve o nome de vilão.
Seu bom coração faz com que anseie em proteger Alexia e para tanto lhe oferece emprego na casa onde antes ela era agregada, mas como a atração entre eles é inegável, talvez não seja uma boa ideia tê-los tão próximos, ou talvez seja a melhor decisão!

“Ela devia a ele mais do que uma fidelidade temporária e o direito ao seu corpo.”p. 138

Hayden é apaixonante em todos os sentidos, como já é clássico sua história familiar não é das melhores, ele viu sua mãe definhar em um casamento sem amor e portanto, não consegue acreditar que pode ser diferente até mesmo pelo fato de ser parecido com o pai em outras questões.

“Ele estava fazendo a coisa certa, não havia como negar, mas não podia evitar a ideia de que estava ou repetindo a história ou cumprindo o destino. Às vezes a coisa certa não era a melhor a se fazer. A pesar de estar demonstrando a honra que seu pai pregava, imaginava se também não estaria se tornando a prova do que o pai dizia sobre o impulso da paixão e o sofrimento que ela gerava.” p. 134

Demorei um pouco para me ambientar com a história, entender as falcatruas de Tim e seus desdobramentos me deram um pouco de dor de cabeça, entretanto, depois percebi que a autora foi minuciosa para dar realidade a fraude, para que tanto personagens quanto leitores se vissem tentando decifrar um mistério.
Outro ponto que gostei muito na trama foi o fato de ter sido um amor construído, um homem cético, mas com desejo e uma mulher que crê amar um amor de juventude e que se vê em um imbróglio entre lealdade e desejo.
Mais um romance de época chegando ao blog! Madeline Hunter era uma autora que eu só tinha ouvido falar, lido resenhas e visto divulgações, mas não tinha ainda me dado a oportunidade de ler algo dela, até comprei os três primeiros livros, mas entre uma leitura e outra sempre protelava.
Sobre a capa, desde o lançamento eu venho batendo na tecla de que não a acho bonita, é muito simples e confesso que demorei horrores para entender a pose da modelo, mas para o bem geral da nação a Arqueiro esta lançando uma segunda edição desse livro com uma capa linda e bem mais condizente com a trama: linda por fora e por dentro!
Ela é uma autora bem mais séria, lançada na mesma época de Julia Quinn e Lisa Kleypas pela Arqueiro é até mesmo natural compará-las, seu enredo é mais explicadinho, mais regado de minúcias, o que não é ruim, ao contrário torna o livro ainda mais interessante. Lerei os próximos na sequência e espero que me delicie com novas tramas, nesse livro inicial somos, enquanto leitores, apresentados a outros personagens que prometem ter histórias tão interessantes quanto esta, fica a curiosidade!
 

felicidade em livros 2013 - 2015 * Template by Ipietoon Cute Blog Design Modificado por Fabiana Correa